(19) 3255-1850 | (19) 996181212
campinas@alubrat.org.br

Blog

Liderança Efetiva & Integrada

Por Thais Taricani

Hoje fala- se muito em ser líder ou tornar-se um líder eficaz para desenvolver equipes de alta performance. Cada vez mais palestras, cursos, workshops impulsionam a “indústria da liderança”. Mas afinal, o que é importante em um líder, ou, o que é importante para se tornar um líder?

Consciente de nossa realidade e com o objetivo de destacar a importância do autoconhecimento na liderança escrevi este artigo onde apresento a ferramenta (ou também chamado “mapa psicológico”), o Eneagrama.
Se conhecer também é uma questão de estratégia para ampliar a mente e os negócios.

Liderança Efetiva & Integrada

Talvez a liderança seja um dos assuntos mais discutidos no mundo corporativo. Cada vez mais novas teorias são desenvolvidas e compartilhadas a respeito do que se espera de um líder, quais são as competências necessárias, como desenvolver estratégias de lideranças mais eficazes etc.

A questão estratégica vem tomando espaço de uma forma diferente. “Mergulhar” em uma grande massa de informações pode não ser suficiente. O grande desafio é como líderes devem desenvolver sua liderança, de forma que eles sejam protagonistas efetivos na construção estratégica do negócio.

Pensar estrategicamente inclui conhecimento e visão do mundo dos negócios, mas acima de tudo, pensar estratégico também envolve pensar a partir de suas habilidades, talentos e potencialidades.

O mundo está acelerado, focado no imediatismo, nas cobranças por resultados rápidos e num momento de muitas incertezas. O “amanhã” acaba se tornando uma fonte de preocupação.

Lidar com o incerto e liderar de forma eficaz formando equipes de alta performance requer uma base sólida de autoconhecimento e aí se justifica a liderança “integrada”, ou seja, se integrar com o seu mundo interno e reconhecer as potencialidades do outro.

A atenção deve ir além dos números e dados quantitativos. É preciso um olhar mais profundo e qualitativo. O líder precisa se empoderar e se apoderar de suas capacidades, de forma que as coloque a serviço dos desafios que a realidade apresenta.

Diante do cenário de incertezas, como construir uma liderança efetiva?

Seja para desenvolver uma nova competência ou para mudar resultados que estão sendo impactados por questões comportamentais, a tomada de consciência de como determinado comportamento impacta e influencia nos outros é um dos primeiros passos. Trata-se da autoconsciência. Qualquer mudança requer consciência começando por si mesmo!

Estilos de Liderança – por que se faz o que faz?

A personalidade de cada um determina o estilo de liderar e não há uma personalidade ou perfil melhor que o outro. É a consciência sobre mecanismos de defesa, crenças que limitam e estratégias utilizadas que irão permitir a expansão da mesma, e assim libertá-la dos próprios hábitos mentais.

Uma das ferramentas que pode ser utilizada durante o processo de autoconhecimento com o coaching é o Eneagrama, nome derivado do grego ( Ennea= nove; grammos = pontos).

Esta ferramenta não apenas mostra nove perfis e padrões de comportamento, mas também revela qual a real motivação que leva cada pessoa para a ação e qual a crença que está por trás da tomada de decisão e da forma de pensar.

Como um mapa, possibilita que a pessoa tenha autoconsciência de seu estilo de atuação e aponta quais são os pontos positivos e em quais pontos deve melhorar.

Podemos nos identificar com traços de todos os tipos, mas um tipo será o predominante e este é o que irá definir um padrão de pensar, sentir e agir e que se manifesta com frequência. O tipo não muda, o que muda é a pessoa que se torna consciente e melhor observadora de si mesma, e assim pode mudar sua forma de reagir e até desenvolver novas habilidades.

A seguir alguns traços dos nove tipos de perfis, bem como as suas principais características e habilidades.

Tipos de perfis

Perfil 1 – Valoriza e acredita que deve ser bom e correto. Ou seja, a perfeição deve ser mantida.

Características: foco nos detalhes, justo nas cobranças, busca aprimoramento contínuo, autoconfiante, disciplinado e dedicado. Pode ser autocrítico e dedicar atenção excessiva aos detalhes, prejudicando assim o tempo de execução de uma tarefa, e se sentir tenso devido a autocobrança e senso de perfeição.

Traços: autocrítico, presta atenção excessiva ao detalhe podendo prejudicar o tempo de execução de uma tarefa e possui um elevado padrão moral e intelectual. Pode se sentir tenso devido à autocobrança e senso de perfeição.

Habilidades: Busca ser justo, bom e correto, alguém melhor para o mundo e pessoas.

Perfil 2 – Acredita que deve estar disponível para ajudar o outro, mesmo que suas necessidades tenham que ser colocadas em segundo plano. Entende que a atenção e afeto virão como retribuição.

Características: cuidadoso, carismático, solícito, colaborador, gosta de assumir desafios para ajudar os outros. Pode apresentar dificuldade em expor suas necessidades e exercer sua liberdade. Sente-se irritado quando não é reconhecido.

Habilidades: Sabe motivar as pessoas, se relaciona em qualquer ambiente, e tem muita empatia e entusiasmo em suas relações.

Perfil 3 – Acredita que deve ser eficiente e conquistar resultados para ser reconhecido. Através de seu esforço e dedicação sente-se diferente e o responsável pelas grandes realizações.

Características: Objetivo, competitivo, ambicioso e persuasivo. Pode ficar desmotivado com feedback negativo ou quando não alcança o resultado esperado e irritado com indecisão e ineficiência.

Principais habilidades: Energia para alcançar seus objetivos e grande senso de realização.

Perfil 4 – Acredita que tem que alcançar um ideal e deve ser criativo e original. Grande sensibilidade intuitiva e analítica.

Características: original, expressivo e emotivo, senso estético apurado, busca inovar e inspirar as pessoas. Detalhista e sempre em busca do ideal.

Habilidades: fazer o que faz sentido, e fazer com amor e compaixão. Sensibilidade em notar a dor do outro.

Perfil 5 – Acredita que deve se reservar e planejar as coisas de forma analítica e racional.

Características: Analítico, estratégico, observador, minucioso e racional. Grande capacidade de planejamento. Pode irritar-se quando não consegue preservar sua privacidade e excesso de estímulos podem afetar a sua concentração e linha de raciocínio.

Habilidades: Grande capacidade de observação e concentração. Objetivo e articulado na hora de se comunicar.

Perfil 6 – Acredita que deve ser cauteloso e antecipar riscos. Planeja e forma equipes confiáveis, com base nos valores como a lealdade e apoio.

Características: Confiável, cuidadoso, atento, cauteloso, cooperativo e capacidade de compreensão muito grande. Pode irritar-se com deslealdade e situações de pressão o deixam inseguros, principalmente quando não tem todas as informações para a toma de decisão ou execução de uma ação.

Habilidades: Pensar com antecedência e nos detalhes, muita energia para produzir da melhor forma e com profundidade.

Perfil 7 – Acredita que deve manter o otimismo, o entusiasmo e estar sempre aberto para novas experiências.

Características: cheio de novas ideias, inovador, animado, otimista, disposto, atento a tudo e a todos ao mesmo tempo. Pode se irritar com a falta de liberdade de ação e frente a rotina e processos engessados.

Habilidades: Mente rápida, foca no que é positivo, estimula e anima a equipe. Processo decisório ágil e gosta de envolver outras pessoas nas decisões.

Perfil 8 – Acredita que deve ser forte e firme para conseguir controlar e assegurar proteção.

Características: Confia em suas decisões, estratégico, determinado, prefere assumir o controle. Ativo e independente. Pode irritar-se quando algo foge do seu controle ou quando percebe que não foi informado de algo.

Habilidades: Visão ampla das coisas, direto e objetivo, sabe identificar situações que não estão muito claras. Assume reponsabilidade e sente-se autossuficiente para conduzir uma situação e construir equipes de forma estratégica, confiando no talento de cada um de sua equipe.

Perfil 9 – Acredita na harmonia, na cooperação e união das pessoas do grupo.

Características: Tomada decisões de forma democrática e com base no consenso. Passa uma imagem mais serena e bom ouvinte. Procura estar bem com as pessoas e ver o ponto de vista de todos. Tende a irritar-se quando se sente forçado a enfrentar conflitos ou é pressionado para tomar decisões.

Habilidades: Tornar ambientes tensos em lugares mais calmos e harmônicos. Cuidadoso ao se posicionar e fazer críticas, de modo que evite conflitos.

Não há um perfil melhor que o outro

Vale ressaltar que não há um perfil melhor que o outro. Todos possuem pontos fortes e pontos a melhorar. O que importa é a autoconsciência sobre como e porque se age de uma determinada maneira e a partir daí se integrar e expandir a mente, indo além de um único tipo.

O Eneagrama é uma ferramenta dinâmica e a determinação do tipo não pode ser feita apenas por um teste. Cabe a própria pessoa definir o seu tipo predominante por meio de reflexão e autoanálise sobre os traços. Um processo de autoconhecimento mais profundo irá permitir que este olhar mais analítico e detalhado ocorra.

Conhecer-se também é uma questão de estratégia para ampliar a mente e os negócios.

Agradecimentos da autora:

Agradeço ao meu líder durante o período em que atuei na área de Recursos Humanos e Treinamento e Desenvolvimento do Grupo Santa Cruz Transportes , Luíz Carlos Garcia, a confiança depositada, todo o conhecimento compartilhado e acima de tudo por ter contribuído para o meu despertar como profissional e
principalmente como pessoa, para assim contribuir na expansão da consciência de todos aqueles que estão ao meu redor e em meu caminho, e hoje através da Ciclo Integrativo.

E agradeço a Dra Vera Saldanha e a Alubrat que me apresentaram à Psicologia Transpessoal deixando minha jornada cada vez mais em harmonia com o meu propósito e essência.

Este artigo foi gentilmente cedido pela autora Thais Taricani, psicóloga, coach, consultora empresarial e aluna da Alubrat do curso de formação em Psicologia Transpessoal e ex-aluna do curso de Eneagrama.

Seu texto também foi publicado na revista Sou + Ônibus, na edição de 11, dos meses novembro/dezembro de 2017.

Esta publicação está disponível em: http://www.soumaisonibus.com.br/

Deixe seu comentário

Pin It on Pinterest

Share This